segunda-feira, 29 de março de 2010

O Valor da Vida!

O que diz o Mandamento. Numa sentença, o texto diz apenas "não matarás". Devemos entender o texto como está literalmente colocado na Bíblia, ainda que o desejo de procurar todas as dimensões de sua aplicação seja muito forte. Nesse texto específico, não inclui toda forma de morte provocada, mas especificamente o assassinato.

O hebraico emprega principalmente duas palavras para matar, e que a palavra "rasah" é uma palavra relativamente rara no texto bíblico que significa o assassinato violento de um inimigo. Assim, o mandamento distinguia entre o homicidio acidental e não premeditado do assassinato propriamente dito. A lei considerava o assassinato a morte praticada com premeditação (Êx 21:13), que resultava de ódio (Nm 35:20,21; Dt 5:17), praticada com a armação de ciladas (Nm 35:20; Dt 19:11).

Havia em Israel cidades de refúgio para que suspeitos de morte pudessem encontrar proteção enquanto aguardavam julgamento. Entretanto, alguém que cometia assassinato não poderia ser recebido nelas (Dt 19:11,12), e nem mesmo o altar poderia livrá-los da morte (Êx 21:12; Nm 35:16) porque a sua ação era anaceitável perante o Senhor (Êx 21:14; Dt 19:14). Toda essa visão estava de acordo com o ensino bem inicial da Bíblia, já que o homicídio é proibido por Deus desde de muito antes da lei de Moisés. Em Gn 9:6 temos manifestação clara da vontade de Deus: "se alguém derramar o sangue do homem, pelo homem se derramará o seu; porque Deus fez o homem segundo a sua imagem".

Como a Lei funcionava no Antigo Testamento
A importância de entendermos a amplitude da lei no Antigo Testamento é que na verdade essa parte da Bíblia contém uma boa variedade de mandamentos e permissões em que se pode matar alguém. No A. T. vemos que a pena de morte foi permitida por Deus nos seguintes casos:
- assassinato premeditado (Êx 21:12-14);
- adultério (Lv 20:10-21; Dt 22:22);
- sequestro (Êx 21:16; Dt 24:7;
- homossexualismo (Lv 20:13);
- incesto (Lv 20:11);
- bestialidade (Êx 22:19);
- ferir ou amaldiçoar os pais (Êx 21:15);
- falsas profecias (Dt 13:1-10);
- blasfêmia (Lv 24:11- 14);
- profanação do sábado (Êx 35:2);
- sacrifício a falsos deuses (Êx 22:20).

Há ainda textos em que o Senhor ordena a morte. Um exemplo está em Js 7:25 (apedrejamento de Aça e sua família). No caso dos amalequitas (1 Sm 15), Saul foi condenado por Deus, porque não obedeceu o Senhor, matando realmente todo o povo, e Samuel, o profeta, é quem mata o rei amalequita perante todo o povo.

Ainda assim, havia absoluta consciência de que o assassinato de alguém numa situação em que se demonstrasse covardia, rancor, egoísmo e desrespeito à criatura de Deus não era permitido. Em 2 Sm 3, Davi condena veementemente a ação dos irmãos Joabe e Abisai por terem assassinado Abner, ainda que o próprio Davi tivesse matado diversas pessoas, até mesmo na companhia de Joabe. A razão era o fato de ser Abner um homem de bem, e Joabe ter matado injustamente a Abner.

Os casos sucessivos do Antigo Testamento evidenciam que o proplema estava na falta de senso de justiça, no pecado da traição e da maldade do coração humano, e não propriamente no ato de matar alguém.

Como o Mandamento é visto no Novo Testamento
A lei dizia "olho por olho, dente por dente". Jesus declarou que não veio para abolir a lei, mas para cumpri-la. Exatamente nessa linha, a visão de justiça seca e objetiva é substituida por uma visão de amor que ama até mesmo o inimigo, e que nem mesmo pode desejar o mal a quem quer que seja.

O texto de Mt 5: 17, 21 e 22 deixa claro que o simples fato de sem motivo nos irarmos contra o irmão já nos coloca sujeitos à disciplina, e que proferir um insulto contra alguém já será motivo suficiente de sermos condenados pelo tribunal de Deus.

Os cristões são evidentemente advertidos contra o assassinato (1 Pe 4:15), e advertidos de que ódio é assassinato (1 Jo 3:15). Homicídio é uma das marcas do ímpio (Rm 1:29; Is 1:15), razão pela qual os que o cometem não podem entrar no céu (Ap 22:15), e algo realmente próprio do Diabo, que é assassino (Jo 8:44).

Outra novidade no tratamento que o Novo Testamento dá ao homicídio é que os santos precisam aprender o amor, acima de tudo. O simples ódio já é visto como assassinato (1 Jo 3:15). Precisamos nos cuidar espiritualmente para que o pecado não tenha domínio sobre nós.

"O Senhor deseja a preservação da vida "e vida com abundância".

9 comentários:

  1. Muuuuuuuito bom!
    Estou eguindo seu blog. Paz!

    BLOG: www.tribunadorio.blogspot.com
    TWITTER: www.twitter.com/tribunadorio
    UBE: http://ning.it/czmyCa

    ResponderExcluir
  2. Graça e paz!
    Carlos de Queiroz

    Agradeço muito a visita!
    Já sigo o seu abençoado Blog! E no Twitter!
    Vale e muito visitar aqueles que ainda não conhecem!

    Sinceros agradecimentos também pelo comentário!
    É uma honra, volte Sempre!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Exceto se o irmão que esta no erro for repreendido sem ódio, então não haverá pecado. Repreender sem IRA é prova de AMOR, conforme Levítico 19.17,18.
    Ter um ministro como o amado Pr Rodolfo acompanhando o meu humilde blog é para mim uma honra, agradeço a visita.

    ResponderExcluir
  4. Graça e paz!
    Sidney Xavier

    A honra e toda minha!
    Seus Blogs são muitos edificantes e abençoados!
    Já estou seguindo e será gratificante acompanhar!
    Mais uma excelente indicação para quem ainda não conhece!

    Agradeço muito a sua visita e participação!
    Volte Sempre!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Parabens o texto nos traz a lume a integralidade do contexto da vida,em sua plenitude, na otica da lei,dentro do conceitode Yahweh.
    www.vivendoteologia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Graça e paz!
    Pr Danilo Sergio

    Muito obrigado pela visita e valoroso e honroso comentario neste espaço!

    Já sigo o seu blog a algum tempo, é muito abençoado e gratificante acompanhar!

    Um Abraço e volte Sempre!

    ResponderExcluir
  7. Primeiramente ao adentrar nesta página reconheço seu valor e a importância de seu autor(a) para a nobre causa do Senhor Jesus Cristo.
    Dito isso, quero convidar você que está lendo estas minhas palavras, a prestar um pouco mais de atenção as revelações do Espírito Santo Verdadeiro em nossos dias. Por se tratar de um assunto de interesse universal, pediria sua amável atenção, em uma breve, mais com certeza, produtiva visita ao nosso blog, onde estão depositadas Revelações do Senhor Jesus Cristo, para as quais peço encarecidamente que nos ajude a divulgar. Pois estamos vivenciando um memento muito sensível da palavra profética. Desde já suplico as bênçãos do Pai, do Filho e do Espírito Santo Verdadeiro sobre todo aquele que atender esse nosso chamado em nome do Senhor Jesus Cristo. Clique em martins111 - João Joaquim Martins. OU http://joaorevela.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Primeiramente ao adentrar nesta página reconheço seu valor e a importância de seu autor(a) para a nobre causa do Senhor Jesus Cristo.
    Dito isso, quero convidar você que está lendo estas minhas palavras, a prestar um pouco mais de atenção as revelações do Espírito Santo Verdadeiro em nossos dias. Por se tratar de um assunto de interesse universal, pediria sua amável atenção, em uma breve, mais com certeza, produtiva visita ao nosso blog, onde estão depositadas Revelações do Senhor Jesus Cristo, para as quais peço encarecidamente que nos ajude a divulgar. Pois estamos vivenciando um memento muito sensível da palavra profética. Desde já suplico as bênçãos do Pai, do Filho e do Espírito Santo Verdadeiro sobre todo aquele que atender esse nosso chamado em nome do Senhor Jesus Cristo. Clique em martins111 - João Joaquim Martins. OU http://joaorevela.blogspot.com/

    ResponderExcluir